17 de ago de 2016

IX PROAÇÃO FASHION DAY ACONTECE NO DIA 23, EM BH

o desfile de moda beneficente terá participação  de 14 grifes, 
show do grupo Sambô e coquetel no Minascentro

Gabriela Francisco,  model ChocColor, no Proação Fashion Day 2015
também desfila neste ano - foto Marcia Francisco
   
Um dos eventos mais aguardados do calendário fashion e social de Belo Horizonte, o Proação Fashion Day chega à sua nona edição em 2016, marcado para o dia 23 de agosto, terça-feira no Minascentro, a partir das 20h.  Evento beneficente à ong O Proação, que tem à frente Ângela Proença e Márcia Prudente, promete ser de brilho iluminado. 

Nesse ano, o evento contará com a participação de 14 grifes, que desfilarão ao som do grupo Sambô. Destaque da noite solidária, a apresentação do Corpo de Baile O Proação contará com 41 meninas de 5 a 17 anos, com uma performance inédita. Após os desfiles, o público se reunirá no foyer do teatro, para coquetel ao som do DJ Carlo Dee. Os convites estarão à venda a partir de 10 de julho, por R$ 190, na sede de O Proação e nas lojas participantes.
 JP Rufino, no desfile 2015     

     Mel Maia desfila em 2016    

Gabriel Palhares, pura simpatia no desfile 2016, volta à cena
foto: Márcia Francisco
                
                                         
 O line up do IX Proação Fashion Day contará com as seguintes marcas: AngloGold Ashanti, Alex Moreira Alta Costura, Atmo, Chocolate Colorido, Colcci, Claudia Marisguia Bijoux, Forum, Leviza Wool Line, Luiz Moura Haute Couture, 3A Acessórios, Monnalisa, Patricia Motta, Rommanel e Tete Rezende Unique. Mais uma vez, as agências Doze, Ford Model, Mega Model e Woll Agency apoiam o evento, disponibilizando seus modelos para o desfile. A novidade dessa edição na passarela é o styling assinado por João Paulo Durão. 
Paola Antonini, aplaudida em 2015, sobe às passarelas, também no dia 23
foto: Márcia Francisco 

A direção criativa está a cargo do produtor Alex Moreira e a produção executiva é da Assim Produção de Eventos. E, claro, os Mestres de Cerimônia da noite serão Ricardo Carlini e Nayra Lellis. Vários artistas e convidados especiais também participam do evento. Já estão confirmados nomes como Yasmin Brunet, Ana Paula Renault, Fernanda Keulla, Letícia Santiago, Paola Antonini e os atores mirins Mel Maia, Gabriel Palhares e JP Rufino.

Yasmin Brunet é presença especial no Proação Fashion Day deste ano



Com coordenação geral de Cristina Misk, o coquetel contará com a parceria dos principais buffets de Belo Horizonte: Bouquet Garni, Brigadeiro de colher, Carol Moreira - Atelier de doces, Club do Chef Buffet, Fofíssimo - bolos caseiros, Fora do Comum, Graciliano, Lagrezette Buffet, Látelier du Sucre, Los Churros, Morena Clara Buffet, Rullus Buffet, Uai Gourmet, Senhora Pipoca, Forno de Minas e Itambé.


O Proação Fashion Day tem o patrocínio da Metalsider e recebe o apoio das seguintes empresas: AMMP, Globo Minas, Benedita Comunicação, Kriare, Cervejaria Backer, Bartender Brasil, Fênix Med, Brókolis , Casa do Vinho, Central Press, Loc-line, Company Events, Artes Gráficas Cândida Amorim, Disk Palco,  Gravasom, Claro Editora, R7 som e luz, Emive, Ouro Minas, Vinícula Pericó, Estação de Turismo, Saritur, Encore - Virginia Residence, Zoom Vip, Super Nosso, Café 3 Corações, Tecsol, Loja das Festas e da produtora Mauren Castro.

15 de ago de 2016

Lilica & Tigor celebra parceria inédita com Patrícia Bonaldi

coquetel marca  o lançamento da coleção na capital mineira

Mirian Lopes - foto Nélio Rodrigues


O casal Mirian Lopes e Magno Silva, leia-se Lilica e Tigor (Piso Ouro Preto, loja 36 – BH Shopping) recebem em coquetel de lançamento da Coleção Cápsula Lilica PatBo. O evento acontece no Espaço BH Shopping (Piso Mariana), no dia 17 de agosto, quarta-feira, das 18h às 22h.
“Prepare-se para ver peças diferenciadas, especiais e maravilhosas. Roupas com qualidade, bordadas à mão, perfeitas, que se tornarão relíquias e passarão de geração a geração” (Miriam Lopes)
O romantismo e o estilo único de Patrícia Bonaldi reafirmam o equilíbrio perfeito na primeira coleção “Cápsula” desenvolvida especialmente para Lilica Ripilica. A estilista faz uma viagem pelo mundo dos sonhos e traz à tona inspirações contemporâneas para princesas reais.

MIRIAN LOPES – EMPREENDEDORISMO COM AFETO:
Natural de Itapecerica/MG, Mirian Lopes, casada com o engenheiro de Minas, Magno Silva, é mãe de Arthur, 9 anos. Sua mãe era costureira.  Esta certamente,  foi a fagulha que despertou em Mirian o sonho de trabalhar no universo da moda.

Ao mudar-se para a capital mineira, formou-se em Administração e atuou por longo tempo na área de informática. Mas o calor do seu sonho era latente e, com a parceria cuidadosa do esposo, decidiu investir na busca de uma franquia, melhor opção para sua escolha pessoal.
O casal foi à procura de uma empresa que oferecesse produtos de qualidade. Para Mirian, o respeito ao público era prioridade: 

“Sempre procurei uma franquia que me desse garantia de um bom produto para meus clientes. Aí, apareceu a Lilica e Tigor, eu fiquei super feliz, meu filho já vestia Tigor. São produtos excelentes, de qualidade inegável! Clientes costumam revelar que seus filhos  vestem a marca desde os primeiros meses e, depois,  passam as peças  para  outros filhos,  ou sobrinhos,  e  a roupa continua nova, em ótimas condições de uso.  Ao encontrarmos a Marisol, proprietária da Lilica e Tigor, ficamos encantados com o que vimos! Trata-se de uma empresa que  busca qualidade  tanto em produtos, quanto de vida para os seus colaboradores e franqueados.  Ficamos em negociação durante um curto período e, com sorte, na ocasião,  todas as lojas de BH estavam em repasse, mas, a do BH Shopping,  ficava próxima à nossa residência e a decisão foi rápida.  Deu tudo certo”, celebra.

Com brilho nos olhos, a empresária afirma sua alegria ao falar sobre suas escolhas profissionais conscientes: “Eu me encontrei. Fiquei super feliz! Não que eu não fosse feliz com o que eu fazia, mas, hoje eu sou muito mais. Também trabalho muito mais do que eu trabalhava antes, mas, sou muito mais feliz”.

Celebrando três anos da loja BH Shopping, Mirian também comemora a expansão dos negócios: o casal é proprietário do outlet Marisol, no shopping BH outlet, existente há  um ano e meio.

REALIZANDO SONHOS:
 “Nossa loja atende do público A ao C. Prezamos pelo bom atendimento a todos os públicos. Queremos que o cliente saia daqui feliz, pois, não vendemos roupa, vendemos sonhos. As meninas chegam aqui, vestem as roupas e se sentem princesas.  Esta é a gratificação. O sonho realizado.  Fico emocionada, porque é algo maravilhoso.

Tenho o privilégio de contar com uma boa equipe que, conosco, valoriza o bom atendimento. Recebemos desde uma pessoa muito simples  - que compra uma blusinha, mas,  que só de vestir uma Lilica ou Tigor se sente super feliz  - à uma pessoa que vem aqui, com melhores condições financeiras e compra 10, 20, 30 peças. O atendimento é o mesmo, o respeito é ao ser humano e, assim, continuamos a realizar sonhos. Há pessoas que vêm aqui e compram bolsas e roupas para bonecas. Seguimos no empenho de  realizar todos estes sonhos.” (Mirian Lopes)

O LANÇAMENTO:
 “Agora, estamos lançando a coleção da Patricia Bonaldi, que é um dos nomes de maior expressão e personalidade na moda brasileira. Trazem delicados bordados,  todos feito à mão, com  pedrarias de muito boa qualidade.  A coleção traz peças delicadas. Chegam a levar até 36 horas para ficarem prontas,” revela Mirian.


foto: Nélio Rodrigues

PRINCESAS DO SÉCULO XXI:
 “As meninas de hoje não querem ser as princesas de antigamente, que ficavam esperando o príncipe chegar num cavalo branco. As meninas atuais querem ser princesas, mas, princesas com atitude!  Esta é a realidade do mundo feminino atual.  Então... é uma princesa? É. Mas é uma princesa que tem um decotinho, que tem uma manguinha diferente,  um estilo diferente. Por isso é uma princesa contemporânea, como a Patrícia diz. É o estilo. Estes são vestidos de princesas de sonhos, mas, não têm aquelas mangas ao estilo antigo. As meninas nunca deixaram de querer ser princesas. Ao se vestirem aqui, saem dançando, girando o vestido... é um sonho.  Com as saias, elas se vestem e saem rodopiando!”

CONCEITO Lilica PatBo:
 O universo lúdico de Lilica Pat Bo possui tons candy colors, como rosas, azuis, verdes, amarelos e off com acentos de pink que colorem vestidos rodados, apliques e bordados manuais sobre tecidos primorosos, como tafetá, renda, organza, tule e jacquard. A confecção dos bordados dos vestidos foi feita toda manualmente, no atelier da estilista, uma marca registrada da designer, e dá a cada peça um toque único de exclusividade. Patricia Bonaldi também emprestou detalhes de sua linha adulta para as meninas, caso dos looks com pregas nas mangas e silhuetas modernas com modelagem em linha A. Seguindo as últimas tendências, a coleção conta com as jaquetas estilo bomber com mangas 7\8, blusas e leggings de malha com estampa digital e short alfaiataria em tecido jacquard.
Outro must have da coleção são os sapatos. Um modelo clássico de Oxford, todo confeccionado em tecido rendado, mantém-se como ícone de moda para a estação. E, uma sapatilha adornada é destaque absoluto com quase quatro mil pérolas de três diferentes tamanhos bordadas manualmente. Ela também tem a sola laqueada e um número de série gravado – de 1 a 138, o número de pares produzidos exclusivamente para a coleção.
Os acessórios bordados à mão e desenvolvidos para compor os looks representam todo o espírito lúdico da marca. A bolsa de pérolas tem o formato inconfundível da personagem Lilica Ripilica e as tiaras trazem delicadas pedrarias para as meninas com atitude e paixão pela moda romântica de Lilica PatBo.

Lilica & Tigor celebra parceria inédita com Patrícia Bonaldi

coquetel marca  o lançamento da coleção na capital mineira, BH Shopping
Mirian Lopes - foto Nélio Rodrigues

O casal Mirian Lopes e Magno Silva, leia-se Lilica e Tigor (Piso Ouro Preto, loja 36 – BH Shopping) recebem em coquetel de lançamento da Coleção Cápsula - Lilica PatBo <3 b="" bo="" pat="">.  O evento acontece no Espaço BH Shopping (Piso Mariana), no dia 17 de agosto, quarta-feira, das 18h às 22h.
“Prepare-se para ver peças diferenciadas, especiais e maravilhosas. Roupas com qualidade, bordadas à mão, perfeitas, que se tornarão relíquias e passarão de geração a geração” (Miriam Lopes)
O romantismo e o estilo único de Patrícia Bonaldi reafirmam o equilíbrio perfeito na primeira coleção “Cápsula” desenvolvida especialmente para Lilica Ripilica. A estilista faz uma viagem pelo mundo dos sonhos e traz à tona inspirações contemporâneas para princesas reais.

MIRIAN LOPES – EMPREENDEDORISMO COM AFETO:
Natural de Itapecerica/MG, Mirian Lopes, casada com o engenheiro de Minas, Magno Silva, é mãe de Arthur, 9 anos. Sua mãe era costureira.  Esta certamente,  foi a fagulha que despertou em Mirian o sonho de trabalhar no universo da moda.

Ao mudar-se para a capital mineira, formou-se em Administração e atuou por longo tempo na área de informática. Mas o calor do seu sonho era latente e, com a parceria cuidadosa do esposo, decidiu investir na busca de uma franquia, melhor opção para sua escolha pessoal.
O casal foi à procura de uma empresa que oferecesse produtos de qualidade. Para Mirian, o respeito ao público era prioridade: 

“Sempre procurei uma franquia que me desse garantia de um bom produto para meus clientes. Aí, apareceu a Lilica e Tigor, eu fiquei super feliz, meu filho já vestia Tigor. São produtos excelentes, de qualidade inegável! Clientes costumam revelar que seus filhos  vestem a marca desde os primeiros meses e, depois,  passam as peças  para  outros filhos,  ou sobrinhos,  e  a roupa continua nova, em ótimas condições de uso.  Ao encontrarmos a Marisol, proprietária da Lilica e Tigor, ficamos encantados com o que vimos! Trata-se de uma empresa que  busca qualidade  tanto em produtos, quanto de vida para os seus colaboradores e franqueados.  Ficamos em negociação durante um curto período e, com sorte, na ocasião,  todas as lojas de BH estavam em repasse, mas, a do BH Shopping,  ficava próxima à nossa residência e a decisão foi rápida.  Deu tudo certo”, celebra.

Com brilho nos olhos, a empresária afirma sua alegria ao falar sobre suas escolhas profissionais conscientes: “Eu me encontrei. Fiquei super feliz! Não que eu não fosse feliz com o que eu fazia, mas, hoje eu sou muito mais. Também trabalho muito mais do que eu trabalhava antes, mas, sou muito mais feliz”.

Celebrando três anos da loja BH Shopping, Mirian também comemora a expansão dos negócios: o casal é proprietário do outlet Marisol, no shopping BH outlet, existente há  um ano e meio.


REALIZANDO SONHOS:
 “Nossa loja atende do público A ao C. Prezamos pelo bom atendimento a todos os públicos. Queremos que o cliente saia daqui feliz, pois, não vendemos roupa, vendemos sonhos. As meninas chegam aqui, vestem as roupas e se sentem princesas.  Esta é a gratificação. O sonho realizado.  Fico emocionada, porque é algo maravilhoso.

Tenho o privilégio de contar com uma boa equipe que, conosco, valoriza o bom atendimento. Recebemos desde uma pessoa muito simples  - que compra uma blusinha, mas,  que só de vestir uma Lilica ou Tigor se sente super feliz  - à uma pessoa que vem aqui, com melhores condições financeiras e compra 10, 20, 30 peças. O atendimento é o mesmo, o respeito é ao ser humano e, assim, continuamos a realizar sonhos. Há pessoas que vêm aqui e compram bolsas e roupas para bonecas. Seguimos no empenho de  realizar todos estes sonhos.
” (Mirian Lopes)

O LANÇAMENTO:
 “Agora, estamos lançando a coleção da Patricia Bonaldi, que é um dos nomes de maior expressão e personalidade na moda brasileira. Trazem delicados bordados,  todos feito à mão, com  pedrarias de muito boa qualidade.  A coleção traz peças delicadas. Chegam a levar até 36 horas para ficarem prontas,” revela Mirian.
 PRINCESAS DO SÉCULO XXI:
 “As meninas de hoje não querem ser as princesas de antigamente, que ficavam esperando o príncipe chegar num cavalo branco. As meninas atuais querem ser princesas, mas, princesas com atitude!  Esta é a realidade do mundo feminino atual.  Então... é uma princesa? É. Mas é uma princesa que tem um decotinho, que tem uma manguinha diferente,  um estilo diferente. Por isso é uma princesa contemporânea, como a Patrícia diz. É o estilo. Estes são vestidos de princesas de sonhos, mas, não têm aquelas mangas ao estilo antigo. As meninas nunca deixaram de querer ser princesas. Ao se vestirem aqui, saem dançando, girando o vestido... é um sonho.  Com as saias, elas se vestem e saem rodopiando!”
CONCEITO Lilica <3 font="" patbo="">

O universo lúdico de Lilica Pat Bo possui tons candy colors, como rosas, azuis, verdes, amarelos e off com acentos de pink que colorem vestidos rodados, apliques e bordados manuais sobre tecidos primorosos, como tafetá, renda, organza, tule e jacquard. A confecção dos bordados dos vestidos foi feita toda manualmente, no atelier da estilista, uma marca registrada da designer, e dá a cada peça um toque único de exclusividade. Patricia Bonaldi também emprestou detalhes de sua linha adulta para as meninas, caso dos looks com pregas nas mangas e silhuetas modernas com modelagem em linha A. Seguindo as últimas tendências, a coleção conta com as jaquetas estilo bomber com mangas 7\8, blusas e leggings de malha com estampa digital e short alfaiataria em tecido jacquard.Outro must have da coleção são os sapatos. Um modelo clássico de Oxford, todo confeccionado em tecido rendado, mantém-se como ícone de moda para a estação. E, uma sapatilha adornada é destaque absoluto com quase quatro mil pérolas de três diferentes tamanhos bordadas manualmente. Ela também tem a sola laqueada e um número de série gravado – de 1 a 138, o número de pares produzidos exclusivamente para a coleção.
Os acessórios bordados à mão e desenvolvidos para compor os looks representam todo o espírito lúdico da marca. A bolsa de pérolas tem o formato inconfundível da personagem Lilica Ripilica e as tiaras trazem delicadas pedrarias para as meninas com atitude e paixão pela moda romântica de Lilica PaBo.

11 de ago de 2016

NÉLIO RODRIGUES celebra 37 anos de profissão e realiza WORKSHOP DE LUZ CRIATIVA PARA FOTOGRAFAR GASTRONOMIA COM CELULAR


Celebrando 37 anos de profissão, o fotógrafo, documentarista e diretor de imagens Nélio Rodrigues, realiza o primeiro curso especializado em luz criativa, para fotografia de gastronomia com celular. 
O evento que acontecerá no dia 23 de agosto, terça-feira de 15h às 18h, no Buffet Papo de Anjo (Rua dos Goitacazes, 1428 – Barro Preto– BH – MG (31) 32929827) apresenta a profissionais e leigos,   a oportunidade de aprender os segredos da luz criativa para fotos com celular, com olhar e conhecimento profissionais.

Um minikit inédito, elaborado por Nélio Rodrigues (leia-se Caras, Veja, Placar, Memórias Refletidas…) será uma ferramenta que dará ao aluno oportunidade de ampliar a resolução das imagens e obter a estética ideal aos seus propósitos pessoais ou profissionais, sem o uso de aplicativos ou filtros.

As inscrições, para o workshop que tem vagas limitadas, já estão abertas pelo telefone: (31) 999681758.

NÉLIO RODRIGUES:
Durante 37 anos como fotógrafo e editor de fotografia das principais revistas nacionais, o profissional pesquisou e desenvolveu um olhar autoral na composição estética da criação de luz para suas fotografias editoriais, publicitárias e autorais, que marcam o seu trabalho. Exerceu a atividade de fotógrafo especial para as revistas Placar, Veja e Caras. Durante 25 anos fotografou diversos assuntos e personagem do mundo político, esportivo, artísticos, gastronômico e social. Iniciou o projeto das Revista Veja Minas. Foi editor e coordenador de fotografia das revista mineiras: Encontro, Viver Brasil e Caras Minas. Suas imagens foram publicadas em diversas revistas e jornais nacionais e internacionais. Viajou por todo o Brasil e pelo exterior, produzindo matérias especiais. Autor do livro "Belo Horizonte vista do céu" e de mais cinco livros de fotografia. Palestrante, colunista e documentarista. Desenvolve e pesquisa novas formas de comunicação interligadas em foto, texto e vídeo para mídia impressa, digital e projetos autorais de conteúdo. È idealizador e realizador do Projeto “Memórias Refletidas”.


O CURSO:
O celular é um acessório presente na vida profissional e pessoal das pessoas. Quando o aparelho de comunicação é bem usado,  se transforma em um acessório poderoso de divulgação de boas ideias, em especial através de imagens. A resolução das imagens produzidas pelos bons aparelhos é excelente, mas, sem uma luz de qualidade, as fotos ficam sem a estética ideal, para serem destaque nas redes sociais.
Nélio Rodrigues vai ensinar técnicas de iluminação viáveis a qualquer pessoa e revelar segredos profissionais da imagem perfeita de gastronomia. 
Após várias pesquisas, Nélio Rodrigues reuniu acessórios em um minikit de iluminação que vai transformar  suas fotos em obras criativas e úteis à publicidade do seu trabalho ou hobbie.
Despertar um olhar sensível na composição fotográfica, além de apresentar técnicas de iluminação criativa para registro com celular. 
A boa imagem hoje tem espaço garantido e, praticamente sem custo, nas principais plataformas das redes sociais, tais como: o Instagram, o Facebook, o Twitter, o Google Plus...
Fotografias de qualidade geram audiência, credibilidade, autoridade, consumo e compartilhamento nas redes sociais, mas, também, são fonte de  pautas para mídias espontânea.

Esse projeto é rápido, prático e de resultado para desenvolver, divulgar, com qualidade, a criação autoral de imagens para divulgação nas redes sociais.

PÚBLICO ALVO
Chefs profissionais, assistentes de cozinha e alunos de gastronomia, profissionais, estudantes de Comunicação, jornalistas, assessores de imprensa, blogueiras especializadas em gastronomia, pessoas que gostam de registrar os seus momentos gastronômicos, em viagens ou no dia-à-dia.
PROGRAMA
•   Conversando e conhecendo o seu objetivo
•   Estratégia e planejamento para uma boa divulgação 
•   Fotografias criativas que geram resultado de audiência 
•   Breve história da fotografia, nos novos tempos
•   Apresentação de fotos de Gastronomia com o uso do aparelho celular
•   Improvisando e criando a luz espetacular e inovadora
•   Escolhendo um cenário de valor para fazer imagem autoral
•   O poder da observação antes do click 
•   Tratamento rápido para dar vida a foto
•   Ângulo e enquadramento original e contemporâneo
•   Ajustes de cores em aplicativos e apresentação de programas para  tratamento   
    de fotos
•   Segredos e dicas que transformam uma imagem
•   Histórias do fotógrafo e sua trajetória de sucesso

Esse projeto é rápido, prático e de resultado para desenvolver, divulgar, com qualidade, a criação autoral de imagens para divulgação nas redes sociais.

NÚMERO DE PARTICIPANTES
12 vagas

DATA
23 de agosto, terça-feira, 15h às 18h

REQUISITOS
Ter um aparelho celular com câmera fotográfica e gostar de fotografia

DURAÇÃO
3 horas

INVESTIMENTO
1)      R$650,00 -  com o minikit de iluminação para celular,  especialmente elaborado por Nélio Rodrigues, que permite excelência em fotografias de gastronomia e pequenos produtos.
2)      R$350,00 -  sem o minikit de iluminação 

LOCAL
Papo de Anjo Buffet
Rua dos Goitacazes, 1428 – Barro Preto – BH – MG (31) 32929827


2 de ago de 2016

EM AGOSTO O CAESAR BUSINESS SE TRANFORMARÁ EM UMA GIGANTESCA GALERIA DE ARTE


Celebrando 40 anos de galeria, o marchand Vitor Braga apresenta
o mais importante acervo já leiloado em Minas Gerais
Celebrando 40 anos de galeria, o marchand Vitor Braga e sua Rugendas Galeria de Arte, apresentam ao público o mais importante acervo já leiloado em Minas Gerais.  Para tal, de 25 a 29 de agosto, quinta à segunda, das 11h às 22h, os salões Ouro e Prata do Hotel Caesar Business Belo Horizonte Belvedere (Av. Luiz Paulo Franco, 421 – Belvedere) se transformarão em uma gigantesca galeria, aberta ao público geral.  
Serão 106 obras de 103 artistas mineiros. O garimpo traz três importantes coleções modernistas de Minas Gerais.
Em destaque, um raro e monumental conjunto de 6 obras de Guignard, incluindo o apartamento de 560 m² no Edifício Randrade – localizado na esquina da  Av. Augusto Lima com Praça Raul Soares -  que tem, em seu salão principal, o famoso painel pintado por Guignard em 1946!
E ainda uma coleção Brasileiro–Americana do arquiteto mineiro Celso Gilberti, que viveu 4 décadas nos Estados Unidos.  
Para os colecionadores, o Grande Leilão Agosto 2016 é oportunidade de raro valor. Para o público geral, acesso com entrada franca, às grandes pérolas da arte – obras originais, que transitariam apenas entre coleções particulares e acervos restritos.  Na terça-feira, dia 30 de agosto, às 20h30, as obras vão à leilão, no mesmo local.

31 de jul de 2016

A ARTE PERDE ELVECIO GUIMARÃES




A arte amanheceu entristecida. LUTO. Faleceu Elvécio Guimarães. Ele partiu aos 83 anos, na madrugada de hoje. 

Um dos pioneiros profissionais e incansáveis de Minas para o país. Elvécio Guimarães, ator, radio-ator, tele-ator, diretor de teatro e de televisão,  iniciou sua carreira profissional em 1949 na Rádio Inconfidência de Belo Horizonte. Ali, teria início uma história de força, talento, consciência, de bravas certezas e palmilhar respeitável. Quem viu sua arte, compartilhou seu sorriso ou sua indignação nas mesas belo-horizontinas, teve a rara oportunidade de aprender muito com quem tinha o que dizer. Agora, Elvécio foi rever sua Cleide e encenar na paz eterna, a dança da folia da vida digna e da missão tão bem cumprida. Gratidão, Elvécio. Aplausos de pé, infindáveis. Você brilhou. Toda luz, querido. (MF)

Despedida, hoje, domingo: 
Cemitério do Bomfim.
Velório após as 10h

Sepultamento às 16h.


Elvécio Queiroz Guimarães (Belo Horizonte MG). Ator e diretor. Pioneiro da atuação em Minas Gerais, sua trajetória inclui carreira expressiva no radioteatro, na TV Itacolomi e, posteriormente, nos palcos de Belo Horizonte, onde atua em mais de cem produções. Tem importante participação na organização do setor artístico-cultural, atuando no sindicato ou na administração à frente de teatros locais, trabalho que culmina com sua nomeação para o cargo de secretário de Estado da Cultura.

Inicia sua carreira artística aos 15 anos, como ator de radioteatro da Rádio Inconfidência. Aos 17 anos, já é reconhecido como galã. Em 1952, transfere-se para o Rio de Janeiro e passa a integrar o elenco da Rádio Mayrink Veiga. Nessa época, tem seu primeiro contato com a televisão e faz pequenas apresentações no teleteatro da TV Tupi. É locutor, apresentador e ator na Rádio Globo, no ano de 1954.
De volta a Belo Horizonte, em 1955, é contratado pela TV Itacolomi, principal emissora da época, responsável por inúmeros programas de entretenimento. Exerce a função de apresentador, ator, narrador e redator de novelas e protagoniza o primeiro seriado da TV brasileira, Noites Mineiras, de Lea Delba, um conto de época que retrata a Belo Horizonte do início do século XX. Paralelamente à televisão, atua na Rádio Guarani mineira em 1956. Apesar de trabalhar prioritariamente em rádio e televisão, começa a dedicar-se também ao teatro.
No fim de 1961, é contratado, no Rio de Janeiro, pela TV Continental, onde permanece até o advento do golpe militar de 1964. Exerce funções diversas: ator, diretor, redator e produtor dos programas de radioteatro. Deixa a emissora carioca e assume a assistência de direção artística da TV Itacolomi, em Belo Horizonte, função que exerce até 1968, quando é contratado como coordenador de programação pelo Sistema Globo de Rádio e Televisão. Em 1969, atua também na Rádio Tiradentes. O enfraquecimento da televisão local leva-o a intensificar o trabalho no teatro, destacando-se como ator e diretor de peças teatrais, musicais e óperas.
Durante a década de 1970, devido à dificuldade de sobreviver de seu trabalho em teatro, trabalha como advogado, fazendo esporádicas incursões nos palcos da cidade. Atua em uma versão teatral para adultos de Flicts, de Ziraldo, em 1976; na peça O Interrogatório, de Peter Weiss, em 1978; e no espetáculo Sol no Olho, de Fauzi Arap, que também dirige, em 1979. No princípio da década de 1980, atua e dirige O Amor do Não, de Fauzi Arapi, e trabalha como ator nas produções O Bravo Soldado Schweik, de Jaroslav Hasek, com direção de Pedro Paulo Cava; e na comédiaÉ..., de Millôr Fernandes, dirigida por Jota Dangelo. Por sua atuação nessa montagem recebe o Troféu Apatedemg, da Associação Profissional dos Artistas e Técnicos em Espetáculos de Diversão de Minas Gerais, de melhor ator do ano.
Recebe, em 1981, o título de Personalidade do Teatro, conferido pela Apatedemg, instituição que preside na época. É convidado a assumir a direção do Teatro Francisco Nunes, tradicional casa de espetáculos da capital mineira, em 1982. A partir de então, concilia a atividade artística com cargos administrativos e a atividade pedagógica. Dirige a peça em que atua, Orquestra de Senhoritas, de Jean Anouilh, e assina a direção de Inconfidência Mulher, de Luís Paixão. Em 1983, participa das remontagens de O Interrogatório e de O Bravo Soldado Schweik; e dirige Laio, ou o Poder, e também atua nessa peça, escrita, especialmente para ele, por Cunha de Leiradella. O jornalista Rogério Salgado comenta sua atuação nesse espetáculo: "[...] interpreta com toda a perfeição o personagem Laio, deixando claro que, além de ser o Monstro Sagrado do teatro mineiro na figura de diretor, é também um dos melhores atores de Minas Gerais".1
Dirige O Marido Vai à Caça, de George Feydeau, e Ensina-me a Viver, de Colin Higgins, e atua no musical Elis, como um Pássaro em seu Ombro, em 1984. Nesse ano, sua atuação chama atenção no espetáculo Rasga Coração, de Oduvaldo Vianna Filho, dirigido por Pedro Paulo Cava.
Em 1985, deixa a direção do Teatro Francisco Nunes e atua em duas óperas produzidas pelo Palácio das Artes: Lúcia de Lammemoor e Balada para Matraga, e no espetáculo musical Show Boat, de Jerome Kern. Seguem-se atuações em diversos espetáculos e óperas, com destaque para Tute Cabrero, cuja atuação rende-lhe o Prêmio João Ceschiatti de melhor ator. Recebe a insígnia do Mérito Artístico conferida pela Fundação Clóvis Salgado, entidade mantenedora do Palácio das Artes, que preside entre 1988 e 1990. É um dos responsáveis pela implantação da Escola de Teatro do Centro de Formação Artística (Cefar) do Palácio das Artes, um curso técnico para atores no qual passa a lecionar. Assume, em 1990, o cargo de secretário de Estado da Cultura, que exerce durante um ano.
A década de 1990 é bastante profícua para sua carreira; firma-se como um dos atores mais experientes do teatro mineiro, dirige espetáculos, atua em óperas, peças e vídeos e ingressa no cinema. Inaugura a década de trabalho com as peças Noel, O Feitiço da Vila e A Conjuração, ambas dirigidas por Jota Dangelo. Em 1993, atua na comédia Ri Melhor Quem Ri Primeiro e, nos dois anos seguintes, dirige as produções:O Diabo Também Faz Milagres, de Mauro Alvim; Ratos e Homens, de John Steinbeck;Triste Fim de Policarpo Quaresma, de Lima Barreto; e Ubu Rei, de Alfred Jarry, montagem de teatro de bonecos com O Grupo. Em 1995, atua em dois espetáculos do Grupo Giramundo: Antologia Mamaluca e Carnaval dos Animais.
Retorna à televisão como diretor do Departamento de Produção de Programas Educacionais e Institucionais do Sistema Salesiano de Vídeo (SSV), em 1996. Entre 1996 e 1997, atua na montagem de A Paixão segundo Shakespeare, com direção de Jota Dangelo, e no espetáculo O Céu Pode Esperar, de Paul Osborne. Pelos dois trabalhos, é indicado aos prêmios Sesc/Sated e Amparc/Bonsucesso na categoria melhor ator do ano, recebe o segundo por sua atuação em O Céu Pode Esperar. Em 1997, integra a lista de Filhos Ilustres - BH 100 Anos, uma homenagem da Fundação Cultural de Professores do Estado de Minas Gerais.
Escreve e dirige Judas, peça em que também atua, em 1998. Nos anos seguintes, dirige e atua em Palmeira Seca, de Jorge Fernando dos Santos, e em Pétalas da Solidão, de Anton Tchekhov. De 1999 até 2004, dirige Auto de Natal, de sua autoria, e, em 1999, estreia no cinema com o filme O Circo das Qualidades Humanas, e atua na ópera Viúva Alegre, uma produção do Palácio das Artes. Em 2000, integra o elenco da peça Depois Daquele Baile, dirigida por Rogério Falabella. Nos anos 2000, investe na carreira cinematográfica, participando como ator de várias produções, entre elas Amor Perfeito, de Geraldo Magalhães; Vinho de Rosas, de Elza Cataldo;Vida de Menina, de Helena Solberg; e Bárbara, de Carlos Gradim. No teatro, atua em uma segunda montagem de Othelo, dirigida por Jota Dangelo. Em 2008, é homenageado pela classe artística com o Prêmio Usiminas/Sinparc de reconhecimento cultural.
Em 2015, Elvécio dirigiu seu último trabalho: " Nelson sem pecado", apresentando uma leitura teatral de sua breve convivência com Nelso Rodrigues, no Rio dos anos 50, quando foram contemporâneos em um jornal carioca.